5 passos para a transformação digital nas escolas

Através da digitalização da experiência de aprendizagem, professores e alunos podem aprimorar suas habilidades

A chegada da Pandemia de Coronavírus causou uma reviravolta em todos os setores da sociedade, principalmente na educação. Em tempos de isolamento social, as empresas estão acelerando seus processos de transformação digital e com as escolas o cenário não é diferente: comunicação mobile, aulas on-line e plataformas digitais são as palavras do momento.

Trata-se de um momento ímpar para a educação brasileira. De acordo com Raquel Motta, profissional associada da Humus Consultoria Educacional e diretora da Prisma Consultoria, a barreira imposta pelo isolamento social está sendo um desafio para muitas escolas que não estavam preparadas para isso.

“O que eu percebo é que muitas tecnologias avançadas não ajudam os professores que não possuem essa intimidade com a tecnologia. Tecnologias mais simples estão fazendo a diferença. São as que estão sendo as mais utilizadas”, relata.

A consultora acredita que, depois de passada a pandemia, teremos outro cenário na educação, uma vez que as escolas estão percebendo que a tecnologia na educação não é um bicho de sete cabeças e que está aprimorando o que os professores já fazem com qualidade.

“É nesse momento que vivemos, imposto pelo isolamento social do Coronavírus, que as tecnologias da educação se mostram fundamentais e possibilitam inúmeras formas de potencializar o ensino que a gente já conhece, mesmo fora da sala de aula”, afirma.

Ouça o áudio completo da entrevista com a consultora Raquel Motta.

As escolas da Educação Básica, diferente das Instituições de Ensino Superior, não estavam habituadas com a adoção do ensino a distância, na opinião de Sonia Simões Colombo, diretora executiva da Humus Consultoria Educacional.

“Existia uma certa resistência de muitas escolas em adotarem essa modalidade de ensino, apesar de as novas diretrizes curriculares nacionais do ensino médio estipularem que até 20% dessa etapa podem ser via EaD no período diurno e 30% no noturno”, comenta.

Com o impacto do novo Coronavirus, as escolas precisaram lidar com a educação remota de forma abrupta, sem terem oportunidade e tempo de se prepararem para esta nova realidade.

“Os educadores, de um modo geral, estão se saindo muito bem diante deste enorme desafio! Encontraram caminhos para iniciarem os seus trabalhos, envolvendo os alunos e pais em uma nova metodologia de ensino”, diz.

Inclusive, a Humus preparou uma página contendo boas práticas educacionais para este momento de pandemia.

O que é transformação digital?

A transformação digital nas escolas é a digitalização da experiência de aprendizagem, para que professores e alunos possam aprimorar suas habilidades, com um objetivo comum: criar um processo educacional mais envolvente e eficaz.

Esse processo não envolve somente inovação e tecnologia, mas também uma mudança de postura da escola. A educação a distância, embora divida opiniões sobre a sua eficácia, necessita que a escola reveja sua própria cultura para que seu objetivo seja alcançado.

“Mesmo assim, eu gosto de reforçar que não há diferença entre as estratégias de ensino presencial e ensino a distância. O que muda é a inserção da tecnologia”, explica Raquel Motta.

Educação a Distância

De acordo com a consultora, é interessante que a escola crie um departamento voltado para o ensino digital, envolvendo, profissional de Tecnologia da Informação, Especialista em Educação a Distância, Design Educacional e Professores.

Segundo Raquel Motta, para implantar o ensino a distância numa escola, é preciso responder alguns pontos importantes:

  • Quem será o público alvo? (grau de maturidade e autonomia dos alunos, recursos que estes detêm fora da escola);
  • Quais os objetivos que pretendem alcançar? (o que a instituição, professores e alunos ganham com isso);
  • Qual metodologia será empregada para os conteúdos? (sala de aula invertida, laboratório rotacional, autoinstrucional, entre outros);
  • Quais conteúdos serão elegíveis para o ensino a distância e o modelo pedagógico a ser usado? (uma disciplina inteira ou parte dela – híbrida -, tipos de mídias e formatos mais adequados a cada público-alvo);
  • Qual será o modelo para produção de conteúdo? (equipe própria ou terceirizada);
  • Qual investimento será necessário para a implantação (softwares, PCs, plataforma de ensino, servidores, profissionais especializados (auxílio TI), entre outros);
  • Que tipo de plataforma de ensino será elegível? (aberta, própria ou terceirizada);
  • Como será a capacitação dos professores/tutores para o uso dos recursos tecnológicos a serem implementados? (desde a produção do conteúdo até o manuseio da plataforma de ensino e seus recursos.)

Respondidas as questões, parte-se para a execução da organização das ações, dividindo-as entre os participantes, de forma que entenderão o que cada etapa exige, bem como, suas funções no processo.

5 passos para montar um plano de transformação digital

1 – Acessibilidade digital

O primeiro passo é garantir que todos os alunos tenham acesso aos recursos tecnológicos. Isso se chama equidade digital. Ela significa que todos os alunos podem ter acesso aos recursos de aprendizagem de uma maneira fácil e acessível.

Dessa forma, os alunos podem acessar de um único dispositivo (smartphone, tablet ou laptop) muitos conteúdos diferentes, seja na escola, em casa, onde quer que estejam.

Após a suspensão das aulas pelo Covid-19, houve uma explosão de conteúdo e ferramentas gratuitas e abertas, através dos quais as escolas podem garantir acesso aos recursos de aprendizado e ainda economizar dinheiro.

2 – Treinamento de professores

A formação de professores é fundamental para o sucesso da transformação digital nas escolas. São necessários educadores preparados que se sintam capacitados com o uso de ferramentas digitais e queiram usá-los da maneira mais eficiente, sem perder nenhuma oportunidade possível oferecida pelas novas tecnologias educacionais.

Os professores podem participar de comunidades de aprendizado profissional on-line para fazer perguntas e compartilhar dicas com os colegas, mantendo-se conectados e alimentando o objetivo comum de criar um padrão de educação de alta qualidade.

Vale lembrar que as crianças usam seus dispositivos digitais principalmente quando instruídos pelos professores. Caso contrário, os dispositivos serão deixados de lado.

Mesmo esse processo aparentemente simples de integrar recursos digitais na sala de aula apresenta grandes desafios para as escolas. Os dispositivos e toda a infraestrutura precisam ser totalmente funcionais, e um sistema de suporte eficaz (técnico e pedagógico) deve estar em vigor. Os professores devem estar relativamente confiantes navegando no mundo digital.

3 – Cooperação entre escola e famílias

Para a transformação digital, é importante levar em consideração toda a organização de uma escola. Nesse ponto, a comunicação e cooperação são críticas. Ao iniciar uma transformação digital, muitas escolas não conseguem se comunicar com os pais e o público em geral. Infelizmente, isso pode ter consequências desastrosas.

Para que as mudanças sejam bem-sucedidas, é necessário se comunicar com as famílias e obter seu apoio. A cooperação está se tornando cada vez mais importante. Todos os que trabalham nas escolas, sejam eles professores, administradores ou coordenadores, precisam aprender a colaborar mais estreitamente.

4 – Aprendizagem Modular

Um dos impactos mais poderosos e positivos sobre a educação proporcionados pela transformação digital nas escolas é a possibilidade de criar módulos de aprendizado de maneira mais rápida. Os educadores podem preparar seus cursos e programas usando o melhor conteúdo já desenvolvido anteriormente.

Os professores podem criar uma variedade de materiais de aprendizado eficazes que precisam satisfazer uma ampla gama de necessidades de diferentes competências, níveis de dificuldade e funções.

Além disso, graças às ferramentas digitais, os educadores podem medir como os alunos aprendem com mais eficiência, ajustando os módulos de aprendizado aos novos conteúdos, baseados em evidências.

5 – Experiência Personalizada

Promover o processo de transformação digital nas escolas significa permitir que os alunos acessem os benefícios da personalização. Hoje, programas especiais são capazes de sugerir quais cursos o aluno deve seguir, dependendo dos cursos que ele concluiu anteriormente, suas pontuações e aptidão.

A oportunidade de personalizar o aprendizado para cada aluno torna a educação mais produtiva: necessidades especiais são diagnosticadas mais rapidamente e o progresso é acelerado.

É uma tarefa árdua fazer alterações que afetam todos os níveis do desenvolvimento de uma escola e leva tempo. Mas vale a pena o esforço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.