Livro ‘O Mundo Contra o Invisível’ é destaque na tevê

Autor da obra, que é fruto do projeto Ciranda de Livro no Colégio Pio XII, de Belo Horizonte, foi entrevistado pelo Jornal Hoje, da Rede Globo, em matéria que abordou a renovação das esperanças em 2021

“Em breve, estaremos juntos novamente, podendo abraçar quem amamos e nos transformar em seres humanos melhores”. É assim que o aluno do 4º ano do Ensino Fundamental, Renzo Leonardo de Oliveira Santos, abre a matéria intitulada “Esperança com a chegada de 2021”, veiculada no último dia 31, no Jornal Hoje, da Rede Globo.

Ele lê essa passagem do seu livro “O Mundo Contra o Invisível” em frente da câmera e, quando é questionado pela repórter Cristiane Leite sobre o que deseja para o novo ano que se inicia, Renzo lista: “Jogar meu futebol, fazer meus campeonatos, voltar à escola, poder abraçar meus amigos e vê-los novamente”. Além disso, mostra para a audiência do Jornal uma folha com a palavra “Amizade” escrita, representando seu principal desejo para o ano novo.

Assista à matéria completa veiculada no Jornal Hoje, da Rede Globo.

Segundo a mãe de Renzo, Regina Aparecida dos Santos, desde o início da pandemia do Covid-19, tem sido muito difícil para o menino de 9 anos ficar em isolamento social. Ele é aluno do Colégio Pio XII, em Belo Horizonte (MG), e em 2021 deve cursar o 5º ano do Ensino Fundamental.

“É uma criança muito ativa, ele tem muita energia. A gente tenta preencher o dia dele com atividades físicas, jogos, leituras, filmes e os estudos. Consegui acompanhar algumas aulas, estive sempre presente, conferindo as atividades e ajudando ele nas dúvidas e dificuldades”, conta Regina.

Autor do próprio livro

Sem nunca ter escrito um livro antes, Renzo teve essa experiência fascinante graças ao projeto Ciranda de Livro, que promove o letramento e autoconhecimento de crianças ao escreverem e ilustrarem seus próprios livros. Ele e seus colegas de classe participaram do programa pedagógico que, mesmo a distância, engaja os alunos com temáticas atuais, como esse do enfrentamento à Pandemia, por exemplo.

“Quando o colégio informou sobre o projeto Ciranda de Livro, ficamos um pouco apreensivos”, lembra Regina. Então, ela sentou-se ao lado do filho e disse: “pega tudo o que você aprendeu sobre como produzir um texto, como fazer uma redação e tudo o que você está vivendo no dia a dia, de como está sendo a nossa vida durante a pandemia”.

Renzo revela que ficou um pouco com medo de escrever seu primeiro livro: “No início fiquei um pouco assustado, com medo, sem saber como fazer um livro. Mas, minha mãe me disse que era para eu usar a imaginação e colocar tudo o que a gente estava vivendo na pandemia”, relata ele.

E completa: “Foi uma experiência sensacional. Minha inspiração foi o momento delicado que estamos vivendo, a falta que eu sinto do futebol, do colégio, dos meus amigos”. Para o lançamento do livro, houve um evento especial: uma tarde de entrega das obras aos estudantes e familares, realizada pelo colégio, seguindo todos os protocolos de segurança sanitária.

Capa do livro escrito e ilustrado pelo Renzo

Proposta pedagógica diferenciada

De acordo com a coordenadora pedagógica da Educação Infantil e Ensino Fundamental I do Colégio Pio XII, Rosilene Espírito Santo Campos Pereira, a escola localizada na capital mineira sempre incentivou a leitura e produção textual dos alunos. “As habilidades artísticas foram sempre valorizadas e incentivadas”, conta ela.

Devido as aulas on-line, a parceria com o Projeto Ciranda de Livro representou uma forma inovadora de aliar o trabalho de produção textual, habilidades artísticas e reflexões sobre a pandemia do coronavírus como ferramenta pedagógica nas aulas. “Os professores e a equipe pedagógica foram capacitados para o desenvolvimento deste trabalho”, explica.

Rosilene lembra que os pais foram grandes aliados durante o desenvolvimento dos livros. “As orientações aos alunos foram repassadas em aulas e por meio de comunicados”, detalha. Os docentes também foram peças fundamentais no processo de escrita dos alunos. Segundo ela, os professores explicaram toda a proposta e o tema escolhido – “Todos Contra Um Inimigo Invisível”.

“No início, a maioria recebeu a proposta como um trabalho escolar. Articulamos uma proposta interdisciplinar e a professora de Artes também foi parceira no incentivo aos desenhos. A ideia era construir uma obra que seria fruto de uma reflexão por parte dos alunos e guardada como recordação deste período de pandemia”, diz a coordenadora.

Porém, o programa pedagógico Ciranda de Livro busca ir além. Pretende ser mais que o desenvolvimento de livros autorais pelos pequenos estudantes. Oferece a oportunidade do “aprender-fazendo”, com atividades lúdicas, de alta performance cognitiva, com temas idealizados por equipe de pedagogos alinhados com os pilares educacionais da Unesco e às novas diretrizes trazidas pela BNCC ao currículo escolar.

Superando as expectativas

De acordo com Rosilene, o produto final realmente extrapolou todas as expectativas. “A obra de cada um foi entregue pela equipe pedagógica aos alunos e pais com todos os protocolos sanitários, sem a presença dos professores, por medida de segurança”, relata. Mesmo assim, a emoção de receber o primeiro livro publicado foi maior do que qualquer distanciamento social.

“O brilho no olhar das crianças e dos responsáveis que compareceram ao evento da entrega dos livros foi gratificante. As histórias ficaram lindas, bem produzidas. Os professores trabalharam muito nas revisões e organização de todo o material”, orgulha-se ela. Para Rosilene, a maior contribuição por parte do Colégio Pio XII foi a oportunidade de reflexão sobre um problema que afetou e ainda traz reflexos para toda a humanidade.

“Em suas histórias, muitos alunos valorizaram pequenos hábitos do cotidiano que passavam desapercebidos, como brincar, estudar no ambiente do Colégio, conviver mais com os colegas e professores. Descreveram a importância da família e a grande expectativa de um mundo melhor. Temos a certeza que contribuímos para uma forma diferente de viver este momento difícil e esperança em um futuro melhor”, finaliza.

O programa Ciranda de Livro instituído durante o ano letivo de 2020 pelo Colégio Pio XII, de Belo Horizonte (MG) contou com a participação dos alunos do 2º ao 5º Ano do Ensino Fundamental I.

Deixe uma resposta