Ciranda de Livro e Associação Monte Carmelo: união que transforma o futuro com a educação

Graças à parceria inédita, crianças e adolescentes atendidos pelo centro socioeducacional de Porto Feliz-SP terão a oportunidade de escrever um livro juntos pela primeira vez

A Ciranda de Livro e a Associação Monte Carmelo se uniram para construírem juntas um futuro melhor por meio da educação.

Pela primeira vez em 30 anos da história da instituição, que realiza um trabalho socioeducacional de crianças e adolescentes de Porto Feliz–SP, os jovens atendidos terão a oportunidade de escrever e ilustrar o próprio livro.

A iniciativa coletiva será realizada com suporte dos educadores, por meio das ferramentas digitais. E, ao final do projeto, um evento para autógrafos homenageará os mais novos grandes autores da cidade!

A expectativa é que o projeto seja concluído em agosto. Nesta leitura, você pode acompanhar os primeiros passos desta iniciativa inédita, baseada na metodologia ativa, que será um marco na história da Ciranda e da Monte Carmelo, e vai transformar a vida dos participantes.

A história da Monte Carmelo

Para começar, queremos apresentar a Associação Monte Carmelo. Esta tradicional comunidade de educadores, com três décadas de história, começou em 1981, com a doação do sítio onde está localizada pela família Ayvazian à Assembleia Espiritual Nacional dos Bahá’is do Brasil.

Em 1989, foram iniciadas as atividades socioeducacionais, junto a somente seis crianças. Tudo é norteado pelos princípios Baháís, religião independente baseada na mensagem do profeta Bahá’u’llah, que valoriza a união espiritual e da humanidade, como também a diversidade racial e cultural. Segundo a Foundations for a Spiritual Education, uma pesquisa sobre escritos Baháís:

“O processo de educação Bahá’í visa a transformação do caráter humano, canalizando as energias dos indivíduos para o serviço abnegado à humanidade. Concentra sua atenção no desenvolvimento das capacidades morais, éticas e espirituais de crianças, pré-jovens, jovens e adultos, como fundamentos à felicidade humana, permitindo desenvolver um elevado espírito de cooperação e serviço à sociedade, na busca constante da sua transformação para atingir uma cidadania plena.”

Sendo assim, este é um dos pilares que direciona as atividades da associação ao atender as crianças e jovens carentes de Porto Feliz. Hoje, a Monte Carmelo realiza atividades com participantes na faixa dos 6 anos de idade até jovens de 18 anos.

Porém, mais que educar, a associação oferece também suporte às famílias, proporcionando uma eficaz e transformadora assistência social. Assim, por meio de um enriquecedor trabalho com educadores e voluntários, a Monte Carmelo realiza atividades socioeducativas focadas no desenvolvimento de virtudes humanas de pais e filhos.

Hoje, esta organização sem fins lucrativos contabiliza 174 crianças matriculadas, sendo que o limite da associação é de 200 crianças.

E, agora, a Ciranda de Livro fará parte desta história. A união proporcionará um marco inédito, que possibilitará que os estudantes se transformem em autores do próprio livro.

Transformando jovens em escritores

Graças à parceria com a Ciranda de Livro, a Monte Carmelo terá a oportunidade inédita de transformar seus estudantes em escritores.  A plataforma pedagógica virtual possibilitará isso de uma maneira única, ao desenvolver as habilidades dos jovens autores de forma lúdica e com recursos simplificados.

Desta forma, a Ciranda de Livro permite uma experiência de aprendizagem baseada na metodologia ativa, que além de contribuir com o desenvolvimento intelectual, atende às orientações da BNCC (Base Nacional Comum Curricular) e aos quatro pilares da educação da Unesco: “aprender a conhecer, a fazer, a conviver e a ser”.

Remoto, mas ainda tão próximo

Paula Lima de Oliveira, coordenadora responsável pelas atividades da Monte Carmelo, conta ao blog da Ciranda de Livro que desde 2020 a associação realiza as atividades a distância, devido a pandemia.

Isso acontece, principalmente, pelo uso de recursos digitais, como por vídeos no WhatsApp. Afinal, o aplicativo é um dos mais comuns entre as famílias atendidas pela associação, que enfrentam dificuldades sociais.

Entre os desafios, estão dificuldades para aquisição de aparelhos modernos, ou de mais de um smartphone por família, bem como do bom acesso à internet.

Então, pensando na ideia de enriquecer este aprendizado virtual e superar as barreiras da conectividade, surgiu a ideia da criação do livro.

“Sempre trabalhamos com atendimento presencial e bem próximo das famílias. Porque, por ser um projeto social, nós atuávamos para que estas crianças não ficassem em situação de vulnerabilidade”, explica Paula.

“Logo, para atender esta realidade que vivemos, estávamos em busca de um projeto que trouxesse visibilidade para a associação e que trabalhasse esta questão de protagonismo, de incentivo à cultura e leitura”, completa a educadora.

A partir disso, surgiu o alinhamento da Monte Carmelo com a Ciranda de Livro na pessoa do diretor Ramin Shams. Ele defende que a educação é uma das mais valiosas joias do Homem e que, por isso, precisa ser propagada.

“Para nós, o programa Ciranda de Livro é uma excelente ferramenta para que possam explorar este potencial latente nos alunos. Com a plataforma, vemos obras se materializando, baseadas no senso imaginário e criativo dos alunos. Às vezes, quando visito nosso parque gráfico, fico entusiasmado e impressionado com a qualidade da escrita ao ler cada livro após a sua produção… São joias se revelando a cada página”.

Ramin Shams

Sobre a experiência transformadora proporcionada pela Ciranda de Livro

Os primeiros passos

Após a conversa com Ramin Shams, Paula conta que apresentou a Ciranda de Livro ao Comitê Pedagógico da Monte Carmelo, e que o retorno da equipe foi bastante positivo.

“Eles adoraram a ideia e ‘casou’ muito bem com o que a gente queria para este momento, porque precisávamos desta visibilidade dentro da comunidade, para mostrarmos que continuamos trabalhando e atendendo as famílias”, celebra.

Beatriz Ribeiro Humphreys Gama, coordenadora de projetos da Monte Carmelo, ressalta que o projeto com a Ciranda de Livro trouxe um ânimo para a equipe e para os atendidos.

“Quando nos demos conta, percebemos que este ano não poderíamos ter atendimento presenciais. Se está sendo desafiador para as escolas funcionarem de maneira remota, imagine para uma organização de assistência social”, observa. Agora, os educadores e voluntários trabalharam para que os 174 estudantes assistidos pela Monte Carmelo de transformem em autores.

Um livro, muitos desafios

A realização do livro exige muitas superações, como a integração de crianças ainda não alfabetizadas.

Além disso, existem outras crianças que apresentam muita dificuldade de aprendizagem e não têm como contar com suporte da família nesta criação, pois seus responsáveis são carentes de formação escolar.

“Nestes casos, caberá um acompanhamento mais próximo de nossos educadores, sendo que cada um deles vai orientar grupos com cerca de 45 crianças, por meio do WhatsApp. É o aplicativo mais simples e que a maioria das famílias têm acesso. Este é o nosso canal mais fácil de comunicação”, explica Paula.

É desta forma que os educadores estão atendendo às crianças a distância neste momento de distanciamento social, por meio de gravações de vídeos com as atividades diárias, enviadas pelo canal digital.

“E ainda temos casos de muitas famílias, por exemplo, que só têm um celular. E o aparelho fica com o responsável, que se ausenta durante o dia para ir ao trabalho. Então, a criança só faz a atividade quando estes pais chegam em casa, por exemplo. São muitas crianças que não têm celular próprio”, ressalta a educadora.

Com união, é possível realizar!

Entretanto, o objetivo é superar as adversidades para transformar a vida dos jovens e famílias, como celebra Paula.

“O que achei muito interessante neste trabalho com a Ciranda de Livro é o envolvimento da família. Sabemos que haverá dificuldades na questão da escrita, mas que, pelo menos, todos vão participar juntos nesta construção”.

Vale lembrar que o projeto ainda permite a possibilidade de trabalhar com ilustração em vez da escrita. Esta é uma alternativa para crianças mais novas e que ainda não são totalmente alfabetizadas, para superar o fator limitante na participação.

Assim como Paula, a coordenadora Beatriz também está positiva sobre a realização do livro coletivo. “De maneira nenhuma gostaríamos de sobrecarregar as crianças com mais conteúdos virtuais, mas também sentimos ser nossa obrigação apoiar as famílias nesse momento difícil e ajudar as crianças em seu processo de aprendizagem com esta iniciativa”. Desta forma, ela define o projeto como “perfeito” para atender às necessidades da Monte Carmelo.

“Através do livro, vamos apoiar o aprendizado cognitivo das crianças e também oferecer suporte emocionalmente, trazendo uma experiência criativa única e com um resultado palpável, físico. Sendo assim, será um livro que vão pode folhear e ler para sempre”

Beatriz Ribeiro Humphreys Gama

Mais sobre essa nobre empreitada você acompanhará aqui no Blogda Ciranda de Livro, após a publicação e distribuição dos livros. Continue conosco.

E se desejar conhecer mais sobre a Monte Carmelo e sua missão tão importante, não deixe de acessar o site da instituição. Lá você encontra também informações sobre como doar e auxiliar a causa.

Deixe uma resposta