Os 4 pilares da educação: um tesouro criado pela Unesco

Quais são os fundamentos e premissas defendidos pelas Nações Unidas e como isso tem transformado o modo de ensinar mundo afora

Você conhece os 4 pilares da educação defendidos pela Unesco? Estes fundamentos compartilhados pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura impactam o direcionamento da aprendizagem por todo o mundo, inclusive no Brasil.

Eles surgiram em 1999, a partir da Comissão Internacional sobre Educação para o Século 21. E esta discussão entre especialistas de renome mundial originou o relatório “Educação: Um Tesouro a Descobrir”, que tornou-se um livro.

A organização dos conceitos foi realizada por Jacques Delors, e o conteúdo propõe que a educação mundial seja direcionada por quatro pilares interligados. Será que você sabe quais são? Aqui vai um spoiler: eles dizem respeito ao modo de conhecer, fazer, conviver e de ser dos estudantes.

Então, acompanhe a leitura e compreenda mais sobre a importância deste tesouro criado para enriquecer ainda mais a qualidade do ensino pelo mundo todo, e que contribuem com a formação de alunos brilhantes!

Conheça os 4 pilares da educação da Unesco

Os pilares compilados pela Unesco no relatório da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI podem ser acessados na íntegra e de forma gratuita, neste link.

Entretanto, para facilitar seu entendimento e compreensão, explicamos cada um deles a seguir. Confira!

1º Pilar: Aprender a conhecer

De acordo com o relatório da Unesco, este pilar defende que a educação ocorra por meio da combinação de culturas em geral, de forma ampla. Com isso, o estudante terá a possibilidade de estudar, em profundidade, um número reduzido de conteúdos. Entretanto, ele terá a oportunidade de aprender a conhecer, conquistando os benefícios da educação obtida ao longo da vida.

2º Pilar: Aprender a fazer

Além de conhecer, a Unesco acredita que o estudante precisa focar em não só adquirir uma única qualificação profissional, mas sim competências que o preparem para encarar desafios diversos da vida e carreira, bem como para trabalhar com equipes. Sendo assim, este pilar aborda a importância da diversidade de experiências sociais e profissionais, e valoriza o fato de que isso ocorra de forma espontânea.

3º Pilar: Aprender a conviver

Este talvez seja um dos principais desafios da educação atual, em tempos de isolamento e atividades virtuais, não é mesmo? Afinal, a convivência é uma das experiências de ensino que proporciona o desenvolvimento da compreensão do outro e da percepção das interdependências, conforme diz o relatório da Unesco. Então, neste pilar, defende-se a realização de projetos que explorem o gerenciamento de conflitos, ensinando assim o respeito por valores plurais, visando a compreensão mútua da paz.

4º Pilar: Aprender a ser

Encerrando os fundamentos da educação compartilhados pela Unesco, está este tópico que diz respeito sobre o desenvolvimento dos estudantes. Aqui, a personalidade e as condições de ação visando a autonomia dos indivíduos estão em evidência. Logo, com isso em mente, a educação precisa considerar potencialidades como memória, raciocínio, sentido estético, capacidades físicas, entre outras que refletem na forma como se comunicam.

Tradição X Modernidade: o que diz o relatório da Unesco sobre tensões a superar

No relatório “Educação: Um Tesouro a Descobrir”, da Unesco, são compartilhados muitos insights sobre o futuro da educação, além dos quatro pilares.

Entretanto, um deles, de autoria do presidente da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI nos chama atenção por estar diretamente associado ao momento de transformação que vivemos atualmente na educação.

Isso porque Jacques Delors já observava na ocasião que a globalização da cultura ocorria de forma progressiva, porém ainda parcial. Hoje, mais de uma década após a criação dos quatro pilares da educação da Unesco, vemos que isso ocorre de forma acelerada, impactando diretamente as salas de aula.

Sobre o assunto, Delors enfatizou: “A tensão entre tradição e modernidade está relacionada com a mesma problemática: adaptar-se sem se negar a si mesmo, construir sua autonomia em dialética com a liberdade e a evolução do outro, além de manter sob controle o progresso científico. Com este espírito é que se deve enfrentar o desafio instigante das novas tecnologias da informação”.

Sendo assim, o especialista observava a importância de atualizar o conceito de educação ao longo da vida, visando a união de todos.

Neste sentido, hoje podemos observar que as plataformas tecnológicas, ainda que apresentem suas dificuldades de uso, têm sido essenciais para unificar estudantes e educadores por todo o mundo.

E a tendência é que o ensino híbrido faça parte da realidade de muitas instituições de ensino no futuro. Conforme informações da Fundação Lemann, o ensino híbrido ganhou maior projeção na pandemia, mas já estava presente no Brasil desde 2014, em instituições que usavam recursos digitais em suas propostas pedagógicas, visando centralizar a participação dos estudantes.

Além disso, 73% dos profissionais da educação entrevistados em pesquisa do Datafolha usarão mais tecnologias no pós-pandemia. E, para completar, 55% defende que as escolas estejam mais conectadas a partir de 2021.

Conhecer, Fazer, Conviver e Ser

Este conteúdo foi criado para você compreender melhor os quatro pilares da educação da Unesco e sua importância na educação. Isso porque eles são os principais guias para manter a alta qualidade do ensino mundial.

Afinal, colocar em práticas estes fundamentos reflete em melhorias na rotina dos estudantes, pois o aprendizado se torna ainda mais rico!

Quando falamos sobre os desafios da aprendizagem, principalmente no mundo digital, sabemos que existem muitas novas complexidades, desde as tecnologias até outras mudanças de comportamento referentes à globalização.

Porém, em paralelo, surgem cada vez mais plataformas norteadas pelos pilares da Unesco, que refletem em experiências de ensino cada vez mais preciosas.

Este é o caso da Ciranda de Livro, uma solução tecnológica que surgiu para unir estudantes a experiência literária.

Com a plataforma pedagógica virtual, eles passam a conhecer suas habilidades, bem como as técnicas literárias. A partir disso, fazem seu próprio livro, convivem com outros estudantes que estão participando do desenvolvimento da obra literária e ainda tornam-se verdadeiros escritores!

Acesse nosso site e saiba mais sobre esta experiência lúdica e simplificada que vale ouro na aprendizagem: https://www.cirandadelivro.com.br/.

Deixe uma resposta